MOB...O QUE É ISSO?

por Débora Delegrave


Olá, queridas leitoras!!

Hoje o Papo de Mãe, vai abordar um assunto novo na minha vida, afinal ele faz parte do meu cotidiano a 3 meses, mas que a cada dia vai ganhando mais minha admiração e confiança... o Método de Ovulação Billings; e para isso hoje a nossa coluna ganhará o reforço na minha instrutora Adrielle Diniz.

Enquanto pensava em você que estaria lendo a essas linhas, fui tentando, de uma forma clara e simples, dar esse conceito importante e que tanto tem ajudado casais, fazendo essa mesma pergunta: O que é o MOB?

Então, o Método de Ovulação Billings, é um método científico de planejamento familiar, desenvolvido por médicos em 1953, na Austrália: Dr. John Billings, Dra. Evelyn Billings, por isso leva o nome de Billings. Em nossa sociedade, o MOB é pouco difundido, acredito que devido a uma visão equivocada, que o concebe como inseguro e ineficaz. Então meu objetivo hoje é trazer um pouco de informação, plantar a sementinha da curiosidade em vocês (kk), e assim disseminar esse método que está mudando a minha vida!!

Ele compreende em uma técnica natural de observação e acompanhamento das sensações e modificações que ocorrem no ser mulher. Por meio do autor registro diário conseguimos monitorar a nossa fertilidade, exigindo apenas disciplina e auto-observação; além de ser um indicador do estado da saúde ginecológico e uma satisfação de estar em harmonia com o próprio corpo, ou seja, proporciona a nós mulheres um olhar para si observando as modificações do corpo tomando consciência de potenciais antes desconhecidos.

A mulher aprende, com um instrutor qualificado ( no site da Cenpaflan, você pode encontrar mais informações sobre esse método, e um instrutor para lhe acompanhar nessa fascinante jornada), a entender e ler os sinais naturais do corpo e, assim, cuidar da sua saúde reprodutiva. Esses sinais refletem a sequência normal das mudanças hormonais do ciclo menstrual.

Qualquer mulher pode adquirir esse conhecimento? Simmmmmm, trata-se de um método simples, não tem contraindicação, pode ser usado por mulheres que apresentem ciclos curtos, longos ou que estejam no período da amamentação, deixando a pílula, no tempo da pré-menopausa ou da menarca, nos períodos de estresse, entre outros. Exigindo apenas disciplina e auto-observação da sensação vulvar e aparência do muco cervical para identificar os sinais e sintomas da fertilidade.

Com base nisso, os benefícios são muitos... entre eles:

- Sem efeitos colaterais: por ser natural, não traz os problemas muitas vezes causados pelos métodos químicos, como dor de cabeça, aumento de peso, perda da libido, entre tantos outros.

- Ajuda a monitorar a saúde reprodutiva: Permite observar a ação dos hormônios em cada período do ciclo menstrual e perceber rapidamente qualquer sinal de alteração ou mau funcionamento do sistema reprodutor feminino.

- Sem custos: Para ser usuário, basta procurar a orientação de um instrutor habilitado e fazer a anotação diária das sensações em um simples gráfico.

- Responsabilidade compartilhada: Marido e mulher aprendem a reconhecer, a cada dia, se estão férteis ou não, e decidem juntos se terão relações sexuais, conforme queiram engravidar ou espaçar uma gravidez. Os esposos tomam para si a responsabilidade e o controle sobre o seu planejamento familiar, não tendo que confiar essa importante função a medicamentos ou dispositivos que muitas vezes falham.

- Aprofunda a intimidade: Os períodos de abstinência podem ajudar o casal a descobrir novas maneiras de expressar seu amor. Favorecem o diálogo e um conhecimento mais profundo e completo do outro, desenvolvendo a intimidade e melhorando a qualidade das relações sexuais.

- Exercita o verdadeiro amor: Permite assegurar o bem do outro, preocupar-se com o que o outro necessita, doar-se quando a ocasião o requer. O controle dos impulsos, em geral, e dos impulsos sexuais, em particular, favorece o crescimento do amor do casal, pois confirma o amor existente entre esses.

- Abertura à vida: Muitos casais com razões para evitar uma gravidez abrem suas portas a um novo filho depois de alguns meses de uso do método, pois enriquecem sua afetividade, melhoram sua harmonia conjugal e começam a perceber o grande dom que é transmitir a vida, querendo tornar-se participantes deste dom.

- Sexualidade integral: O respeito aos ciclos naturais e a abertura à vida são caminho para compreender e viver a sexualidade de maneira completa e livre, de acordo com a verdadeira vocação dos esposos, que santifica e realiza plenamente. Proporciona ao casal encontros pessoais cada vez mais profundos, encontros que os fazem ser cada vez mais “uma só carne”. (fonte: MCJ - Movimento de Casais Jovens)

Como já disse no inicio dessa nossa conversa, o MOB tem contribuído muito no meu processo de autoconhecimento, fortalecimento e vigor da minha essência feminina, pois vamos combinar depois da maternidade a nossa autoestima dá uma balançada (kkk) e nada melhor que um método natural, gratuito para nos lembrar da nossa grandeza de ser mulher.

Espero que vocês tenham gostado! Entrem em contato por meio das nossas redes sociais (@debora_floresermae e @adrielle_diniz), caso queiram saber mais informações, bem como no site da Cenpaflan.

Abraços e até a próxima...