Maternidade real

Conheça a história da mamãe Gabriella Meyer.


Gabriella Meyer, mãe do Gael
-Especialista em moda, gestão e desenvolvimento de negócios
-Sócia proprietária da loja Flor de Café
- fundadora da @_lojadesucesso
- diretora de comércio da associação empresarial de Frederico Westphalen (AEFW)

FM: Como foi o processo de maternidade na tua vida?

Gabriella: Com certeza, eu Gabriela, fui uma pessoa antes da maternidade e outra após, foi um divisor de águas na minha vida. Eu prefiro essa mulher que me tornei hoje, essa versão MÃE. Até hoje escuto de muitas pessoas que não desejam ser mães devido às renuncias que fazemos na nossa vida, são as horas de sono, daquela comida quentinha, talvez de alguns projetos pessoais, renunciamos muitas coisas, mas tudo isso é muito compensador, a gente acaba nem sentindo essa falta, né? Porque ser mãe é realmente recompensador, é um amor sem tamanho. Uma vez alguém me disse: “Se você acha que você ama alguém, teu pai, tua mãe, teu marido, espera você ter seu filho nos braços para ver o que é o amor verdadeiro”. FM: Quais as mudanças que aconteceram com a chegada do bebê?

Gabriella: A maternidade me transformou como mulher mesmo, na verdade, antes eu me enxergo como sendo outra pessoa sabe? Incrível quando eu olho para trás ou vejo algumas fotos minhas eu penso “meu Deus, eu realmente era uma menina e hoje eu sou uma mulher.” E outra, a maternidade me fez descobrir que eu sou capaz de muita coisa. Eu sou muito forte, então isso foi algo que mudou a minha vida.

Durante a gestação, eu lembro que me vinha muito na cabeça a palavra resiliência. Porque eu fiquei grávida bem durante a covid, então a gente já teve que aprender a ser resiliente na marra ali, o período gestacional me ensinou muita coisa, eu sempre fui uma pessoa que nunca podia adiar plano nenhum, se eu tinha que fazer tal coisa, tinha que ser naquele momento, tinha os meus horários, a minha rotina, minha vida regrada e o Gaelzinho, ele veio me ensinar que não, que a vida não é assim e que está tudo bem.

Eu tive uma gestação um pouco conturbada no início e no final passei pela pressão alta, e era muito engraçado, porque eu não podia me estressar, ficar nervosa, porque a minha pressão subia e eu tinha que ir para hospital, então eu tive que ter uma gestão de emoções, um controle muito grande sobre as emoções e também entender que os planos podiam esperar. E a gente depois faz as coisas com muito mais vontade e força para que tudo dê muito certo, né? Eu sempre digo que eu quero ser a maior financiadora dos sonhos do Gael, que ele possa alcançar os objetivos deles e que eu possa ajudar nisso.

A gente muda o olhar sobre várias coisas. Coisas que antes me importavam hoje não me importam mais, ou vice-versa. Ele mudou meu relacionamento comigo mesma e o Gael é uma criança muito especial, ele mudou os relacionamentos com os meus familiares, ele trouxe uma união, ele veio para unir mais ainda a minha família, aproximar mais as pessoas, o meu relacionamento também é outro, mais maduro, além de todo esse amor, que transborda realmente, que o Gael nos trouxe. Ele é o que nos impulsiona.

FM: Na sua carreira como têm sido os desafios e conquistas?

Gabriella: É realmente muito desafiador, mas ao mesmo tempo é o que mais me impulsiona. Como eu disse antes: Eu quero ser a maior financiadora dos sonhos do Gael, então eu sei o estilo de vida que eu quero ter daqui uns anos, o que eu quero para nós, para nossa família.

Tem sido muito desafiador, mas eu nunca alcancei tantos objetivos em tão pouco tempo sabe, porque é uma força que vem com certeza dessas criaturinhas que nos fazem levantar todos os dias e fazer acontecer.

Sempre ouvi falar: Quando nasce uma mãe, nasce uma empreendedora. E isso faz bastante sentido. Eu quando estava na gestação ainda, eu tinha um turbilhão de ideias e foi aí que nasceu o projeto Loja de Sucesso, ali, durante a pandemia, e também durante a gestação.

Eu estava ali à toa em casa e eu pensava: “como eu posso ajudar nesse momento difícil?” Então esse projeto, que eu tenho com a minha sócia Mônica Zanatta, onde a gente presta assessoria, mentoria para pequenos negócios, tem sido muito gratificante, com certeza foi algo que nasceu junto com a maternidade na minha vida.

FM: Como é ser mãe e empresária ao mesmo tempo?

Gabriella: Conciliar a vida de mãe e empresária é algo que tem que haver uma preparação, na minha opinião, claro que não precisamos nos preparar muito para não ficar adiando, e essa preparação pode ocorrer durante a gestação, porque quando eu estava grávida, já pensava naqueles dias que eu iria ter que ficar fora, no momento que eu ganhasse o Gael, e já fui programando e organizando isso na empresa.

Deleguei algumas tarefas, ensinei a fazer do jeito que eu gostaria que fosse feito quando eu não estivesse lá, treinei a equipe de uma forma diferente. E muitas dessas mudanças se mantiveram após meu retorno da licença-maternidade, coisas que eu fazia antes, hoje não é eu que faço, porque eu tenho o papel de mãe também.

Acredito que sim, que tem que haver uma preparação. Para isso tem que haver um pensamento de que você é dona de uma empresa e mãe. Além disso, a outra coisa que considero essencial é organização mesmo, eu sempre mantenho a minha agenda organizada para poder manter uma rotina, mesmo que haja mudanças no decorrer do processo, a agenda me ajuda a não me perder e esquecer de nada, nem das minhas atividades como empresária ou as atividades do Gael, os compromissos dele. Outra coisa que eu considero essencial para conciliar essa vida de mãe e empresária é algo que eu não conseguiria se eu não tivesse, que é a rede de apoio da família, do marido, porque é fundamental compartilharmos as atividades da casa, do bebê, para que tudo siga bem.

FM: E qual o ponto chave do segredo desse sucesso?

Gabriella: Para ser empresária, empreendedora e uma mãe de sucesso é preciso ser uma pessoa de sucesso. O desenvolvimento pessoal é fundamental em todo esse processo. Porque você se autoconhecer, respeitar seus momentos e saber o que você tem que fazer e pode fazer para que se sinta bem, é essencial na vida de qualquer pessoa, especialmente da mulher que agrega tantas funções na sua vida.