Maternidade e exaustão...

Por Debora Dalegrave


Esses últimos dias tem sido bem desafiadores, o cansaço, a exaustão tomou conta... Afinal não é segredo para ninguém, que a rotina da maternidade, além de trazer um amor incondicional, vem acompanhada de um cansaço sem igual.

Eu estava tão absorvida no cansaço, que nem me dei conta que ele já se fazia presente na minha vida, até que esse assunto foi sugerido, e na hora a ficha caiu, a realidade se tornou consciente e as reflexões começaram – noites mal dormidas, refeições inadequadas, mudanças no relacionamento do casal, preocupações, organização da casa, opiniões e julgamentos, entre outros motivos que levam ao estresse físico e emocional.

No meu caso, tem dias que conto os minutos para chegar as 21 horas - hora em que as crianças estão indo dormir ( sendo que a cada tempo isso tem alterado) – e sentar no sofá, respirar e voltar ao meu centro, ou seja, a mim mesma; pois durante o dia administrei as crianças, a casa, o relacionamento conjugal, e acabei manifestando no meu corpo toda essa correria e pressão. E essa fadiga, também deve ser vivenciada, como os demais sentimentos, sensações que a maternidade trás consigo; e sendo vivenciada, acolhida e compreendida é possível desenvolver nossos hábitos que auxiliam na melhora de algumas mudanças no modo de agir e pensar. Vou compartilhar em seguida, algumas dicas que realizo e me ajudam nesse processo.

# Descanse quando possível – costumo acordar a cada 2/3 horas para amamentar ou acolher a filha que iniciou na fase dos sonhos, e nesse momento também acordando bem cedo para brincar, a final tem que ver o sol nascer (kkk); e assim o não dormir suficiente é um dos fatores mais estressantes que existe; por isso quando eles dormem, tento descansar - não necessariamente dormir -, pode ser por meio de uma leitura, fazer algum hobby ( por exemplo: nesse momento estou aproveitando a minha “folguinha” para escrever esse texto) ou realmente dormir, nem que seja 15/20 minutos auxiliam nesse processo de descansar a mente e o corpo.

# Alimente-se bem: o nosso corpo necessita de energia, combustível e isso vem por meio da alimentação, a qual deve ser rica em vitaminas, fibras...garantindo o bom funcionamento do corpo e auxiliando em todo o processo por meio da alimentação saudável. Confesso que para mim é o maior desafio, as vezes esqueço de me alimentar, ou como algo rapidinho, de fácil acesso e senti drasticamente as consequências disso – o cansaço veio valendo, me senti sem energia, acendeu o sinal vermelho e assim, PAREI e voltei a analisar a minha alimentação e melhorar esse aspecto; mas ainda estou longeeee do caminho ideal (aceito e me aperfeiçoo diariamente).

# Pensamento: como a preocupação virá nossa aliada na maternidade, ne? E ela acaba sendo forte aliada no nosso desgaste diário. Por isso, é importante refletir, qual a intensidade que estou dando aos meus pensamentos? São reais ou imagináveis? Nesse processo poderá descobrir que está dando uma dimensão maior do que tem, e como resultado terá menos ansiedade.

# Faça o possível: esse ponto tem me gerado muitas reflexões, pois ao fazer o possível me liberto das cobranças, dos julgamentos e das frustrações... pois querer tudooo junto nesse momento - casa arrumada, vida a dois espetacular, ascensão profissional, “corpo em dia” e dois filhos atendidos 100%, entre outros fatores é ir em busca de mais frustração e estresse. Por isso, compreendi que eu faço o possível, faço tudoo que consigo com alma e coração, me entrego as tarefas, aos momentos em família e se não consegui realizar tudo que desejava...

ESTA TUDO BEM, afinal vivi tudo que podia viver naquele momento, e de degrau a degrau alcançarei os outros objetivos, investindo nos quatro pilares da minha saúde física, mental, emocional e espiritual.

Lembre-se tudo é perfeito como é!!! Deixe fluir, se permita viver!!!

Contato

(55) 9 9941 1161  - contato@fredmagazine.com.br

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon

RS 591, N° 200, Jardim Primavera
Frederico Westphalen/RS