Escolhas que a maternidade traz...

por: Débora Dalegrave

Escolhas, do latim es + colher, tendo por significado no dicionário: preferência que se dá a alguma coisa que se encontra entre outras; predileção... e assim, iniciamos mais um Papo de Mãe! Quantas escolhas fizemos diariamente na maternidade? Quantas escolhas no ser mulher?

Muitas ao descobrirem a gestação, começam a ler várias coisas, fazendo uma busca desenfreada sobre o novo; super admiro, mas hoje quero propor um novo olhar a respeito disso, pois encontramos muitas orientações condicionando a criança para que ela tivesse comportamentos que os adultos esperam delas, e esquecemos que estamos diante de um bebê, sendo bebê, se comportando como bebê, e nos ensinando a amar, servir uma alma única a qual nos foi confiada.

E assim, devemos iniciar as nossas escolhas nos questionando: Quem é essa alma a qual me foi confiada? Quais seus anseios, seus desejos? Quando foi que comecei a não compreender meu filho? Quais os conselhos que eu tenho escutado – o mundo externo ou o mundo interno?

Claro que cada uma deve escolher o que se adequa à sua realidade, às suas verdades e às suas possibilidades; na vida é assim, cada escolha traz por si só uma renúncia um novo olhar, uma decisão.

A nossa vida é feita de escolhas, de pausas, de recomeços... lembra quando teus pais lhe pediam queres uma boneca ou uma roupa de presente? Na adolescência sair pra balada ou ir prestar vestibular? Na vida adulta, fazer advocacia ou administração? Comer hambúrguer ou pizza? Viajar ou guardar dinheiro para construir uma casa? Isso ou aquilo?... a vida é uma escolha diária!!!

Não penses que estas perdida, ou parada no mundo... pensas que está fazendo a escolha do seu coração, que estás encontrando o teu verdadeiro eu ao gerar uma nova vida.

E volto a repetir, as escolhas são muito particulares, exigem renúncia muitas vezes... assim trouxe algumas reflexões (aleatórias)…

 "A maternidade comporta uma comunhão especial com o mistério da vida, que amadurece no seio da mulher." (São João Paulo II);

 Ter escolhas conscientes: se cobrarmos de mais para sempre fazer a escolha certa, mas isso não é possível... mas o melhor que buscar escolhas certas é buscar escolhas conscientes e a gente consegue isso por meio do autoconhecimento, pela informação, seu contexto familiar, saúde emocional e espiritual da família, ou seja, honrando a sua história de vida;

 Cada família é única e quando tomamos uma escolha consciente, se sentimos leve e liberamos a culpa a auto cobrança e o julgamento alheio não chega a nossa casa, ficamos em paz;

 A maternidade é a vocação originária da mulher, um chamado de Deus; mas em sua generosidade nos dá a liberdade de responder de modo positivo ou negativo; seja biológico ou “fecundidade do coração”.

A maternidade nos desafia por inúmeras situações na vida dos filhos – infância, adolescência, adultos; como minha mãe sempre dizia “Você acha que eu durmo até não estarem todos em casa?” kkk – quem de vocês não já escutou isso??!!;

 A maternidade é um portal de consciência do feminino: é a expressão da nossa forma única de Ser e da nossa missão de vida;

 A maternidade nos revela a força criativa feminina em uma intensidade muitas vezes desconhecida por nós mesmos até aquele momento, ou seja, recriamos a nossa própria vida; um novo olhar, uma nova maneira de ver e viver a vida.

 Viver o nosso próprio processo de maternar, tendo consciência da criança que fomos é fundamental para expressar nosso propósito, pois na infância estamos “livres” dos julgamentos e expressões do macrocosmo, e nossos filhos nos mostram isso todos os dias, só precisamos olhar com os olhos de quem quer ver, afinal “o essencial é invisível aos olhos, e só se pode ver com o coração.” O Pequeno Príncipe

 Outra escolha que a maternidade me proporcionou foi a reconexão com a qualidade intuitiva, ou seja, a voz do meu coração – o famoso o sexto sentido da própria mãe?! E porque digo escolha, pois tenho a escolha de escutar, de perceber a dimensão do amor, da intuição que carregamos em nosso ser;

O nosso propósito não será revelado pela nossa mente, mas pelo nosso coração, o lugar onde acessamos o Amor, sintonizando na frequência do coração para compreender a nossa missão de vida. Em outras palavras é sobre como viemos colocar o amor em movimento nesse mundo.

As escolhas estão na nossa frente... as escolhas estão nos oportunizando crescer, evoluir e aprender!! As escolhas que a maternidade traz são as melhores escolhas que você pode fazer no HOJE, no AGORA com a consciência que tens hoje. Receba com amor!!