Descubra como o quarto montessoriano pode auxiliar no desenvolvimento do seu bebê

Nesse tipo de ambiente, móveis são adaptados para o aprendizado e autonomia das crianças


A espera de um filho é tida como uma das sensações mais maravilhosas que um casal possa sentir. Esse processo envolve uma série de mudanças, decisões e adaptações, como, por exemplo, montar o quarto do bebê. Uma tendência que tem adquirido destaque no processo de casa e construção são os quartos montessorianos.


Método educacional

Desenvolvido pela educadora italiana Maria Montessori em 1907, o quarto montessoriano – nome em homenagem a sua criadora – é um ambiente basicamente projetado para crianças, visando seu desenvolvimento e sua autonomia.

Para isso, os móveis e demais objetos decorativos ficam na altura dos olhos da criança, promovendo a autoeducação, assim, os pequenos poderão explorar o espaço com liberdade e segurança.

Sobre a eficácia do método, a psicóloga e psicoterapeuta infantil que atende junto a RV Psicologia Multiespaço, Vanessa Balen Felin, pondera que é preciso haver uma união dos princípios e também um forte engajamento e preparo dos pais.

“Toda a oportunidade que temos de vivenciar novas experiências nos trazem aprendizado e desenvolvimento, tanto cognitivo, emocional e físico, então, temos que pensar no método montessoriano como algo que deve acontecer em união com todos seus princípios. Compreendendo a criança e identificando a eficácia no que está sendo oferecido a ela, para um desenvolvimento de forma equilibrada”, explicou Vanessa.



Experiência fantástica

O casal Debora Dalegrave, coach de Realização Pessoal e terapeuta de Thetahealing, e Regis Titon, profissional de TI, são pais da pequena Isabella Dalegrave Titon, de nove meses, e decidiram aderir ao quarto montessoriano justamente para que a filha possa ter mais autonomia e momentos de interação consigo mesma.

Hoje a Isabella está com 9 meses e já utiliza seu quarto com autonomia para buscar e brincar com seus brinquedos, além de usar o espelho para se reconhecer e desenvolver momentos de interação consigo mesma”, revelou Debora.

O espaço foi pensado para que Bella possa brincar, desenvolver a parte lúdica e sua criatividade. Móveis como cama e objetos possuem fácil acesso, e o ambiente ainda conta com um espelho para o processo de reconhecimento.

Ergonomia e arquitetura se conversam

Olhando por um viés mais decorativo e arquitetônico, além da altura mínima para os móveis e objetos, esse tipo de ambiente funciona como um estimulador da autonomia e sentidos das crianças, por isso é de grande valia que os móveis também sejam adaptados para oferecerem uma maior interação delas com todo o espaço.

Pensando nisso, cômodas, cabideiros, tapetes e espelhos são exemplos e fortes aliados no quesito participação, pois permitem que os pequenos ajudem na escolha de roupas, calçados e até mesmo na organização do quarto.

Os espelhos citados acima desempenham um papel extremamente relevante dentro da dinâmica dos quartos montessorianos, conforme argumentou a arquiteta e urbanista Joana Sartor Lamb.

“Os espelhos mostram para as crianças que elas são indivíduos, ou seja, que existem por si só, não são parte da mãe ou do pai. Isso auxilia no desenvolvimento da autonomia. Vale salientar que esse espelho precisa estar bem fixado, de preferência com uma base de mdf e película protetora, a fim de evitar acidentes no caso de quebra”, apontou Joana.

Barras de apoio junto dos espelhos também são bem-vindas, uma vez que auxiliam em uma etapa importante da vida de todo bebê: seus primeiros passos.

Outro ponto levantado por Joana é dar prioridade para a funcionalidade desses espaços, deixando a decoração em segundo plano, indo, desta forma, de encontro com o objetivo do quarto montessoriano. Para isso, é importante priorizar por uma quantidade mínima de móveis, garantindo segurança e acessibilidade para a criança, bem como, a possibilidade de adaptação do ambiente para o desenvolvimento individual de cada um.

“Deve-se projetar móveis seguros, em que tanto brinquedos quanto roupas e acessórios fiquem ao alcance das pequenas mãozinhas curiosas, visto que a criança naturalmente explora o ambiente à sua volta, porque tem curiosidade, desejo por conhecer e descobrir. Por isso, é tão importante ter um ambiente preparado para essas descobertas e também apresentar materiais adequados, de modo que elas possam desenvolver suas potencialidades, cada uma a seu ritmo.”, finalizou a arquiteta.

Do bebê à criança, o quarto baseado no método criado por Montessori pode ser adaptado à medida que a idade vai avançando, adentrando também o período escolar. Para isso, nesse espaço os pais podem criar uma área para brincadeiras, outra para os estudos, tudo sempre pensando em objetos e elementos que funcionem como estímulos.

Contato

(55) 9 9941 1161  - contato@fredmagazine.com.br

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon

RS 591, N° 200, Jardim Primavera
Frederico Westphalen/RS