De mãe para mãe, compartilhando experiência de afeto

Atualizado: Jan 22

Papo de mãe é uma sessão que vai falar sobre experiências, alegrias e tristezas, dúvidas e, acima de tudo, contar um pouco de vivências e o que os profissionais podem nos esclarecer.



Há um ano e seis meses me tornei mãe, confesso que em alguns momentos bate um desespero e em tantos outros você se pergunta como era sua vida antes desse ser lindo estar junto de ti.

A vinda de uma criança muda a vida de uma família, mas especialmente dá um giro de 180 graus na vida da mulher. Sim, somos as que mais sentimos a mudança, nosso corpo muda, nosso coração muda, você sente medo, sente dor, sente amor, e as vezes sente que o mundo poderia parar de girar rápido demais.

Quando engravidei, confesso que fiquei com muito medo, tinha uma vida profissional estável e isso nunca mais seria assim, sei que esse é o sentimento de muitas mamães, mas vamos encarar essa situação de cabeça erguida e tentar ser a Melhor Mãe que seu filho pode ter. Para isso minha primeira dica é: Dedique-se, leia, veja vídeos, defina que tipo de mãe você vai ser. Sabe por quê? Porque os palpites serão exagerados, você vai se sentir perdida e com medo de errar, e quando você está ciente de suas decisões isso irá ser mais fácil de superar. Durante os meus 9 meses gestando decidi que iria amamentar e mais, que isso seria exclusivo até os 6 meses. Para isso pesquisei muito, li, comprei livros, vi tutoriais, participei de lives com profissionais da área da amamentação. Mas, se essa não for sua escolha, não tem problema nenhum nisso, você não vai deixar de ser mãe por isso, nem irá fazer seu bebê sofrer, afinal temos muitos recursos para manter nossos pequenos saudáveis e felizes.

Mas voltando, certamente já deve ter ouvido falar sobre o #agostodourado, um movimento muito importante em um país onde, de acordo com estimativas da UNICEF e da OMS, apenas 38,6% dos bebês recebem exclusivamente leite materno até os 6 meses. Por experiência própria sei bem como amamentar pode ser muito difícil, cansativo, dolorido e extenuante. E também como exige dedicação e disposição. E por isso é preciso respeitar e acolher. Sem críticas e nem apontar de dedos.

De acordo com a médica pediatra Isabel Panosso, o aleitamento materno deve ser oferecido e estimulado desde a primeira hora de vida após o nascimento. O leite dos primeiros dias após o parto é conhecido como colostro e oferece grande proteção, conhecido também como a primeira “vacina” do bebê.

Vamos para a segunda dica da sessão: Converse com seu médico ginecologista e com o futuro pediatra do seu bebê, eles podem passar dicas valiosas sobre a primeira mamada e como ela deve acontecer antes de inserir mamadeira (ah, de preferência nem use no primeiro contato, dê leite no copinho, pois a “pega” pode acontecer erradamente e depois você irá sofrer com as temias “rachaduras”).

Nossa terceira dica valiosa, por experiência e de acordo com a dra. Isabel - é preciso prestar muita atenção a “pega” correta, pois é de extrema importância que ela e o posicionamento do bebê estejam adequados para garantir o sucesso da amamentação, os profissionais da área da saúde são capacitados para fornecer esse auxílio para as mães, como o pediatra, enfermeiras(os) e consultoras de amamentação. A boca do bebê bem aberta (boquinha de peixe), lábio inferior virado para fora, queixo do bebê tocando a mama, mas a aréola visível acima da boca do bebê do que abaixo.


Contudo, sucesso da amamentação depende de mais alguns detalhes simples, vamos para a quarta dica, INGESTÃO DE LÍQUIDO ADEQUADA PELA MÃE: 3 a 4 litros de água por dia, POSICIONAMENTO ADEQUADO: rosto do bebê de frente para a mama, com nariz na altura do mamilo; bebê com cabeça e tronco alinhado; bebê e braço da mãe bem apoiados ( almofada de amamentação, travesseiro ...) corpo do bebê bem próximo ao da mãe, com a barriguinha voltada para a barriga da mãe (barriga com barriga).

Esses são detalhes muito importante para evitar a “pega” inadequada e o sofrimento com as rachaduras no seio, e a dor da sucção. Se seu desejo é amamentar, pesquise um pouco mais sobre isso.

Outra questão importante é a rede de apoio, por isso, mamães, deixem que os outros ajudem você, nesse momento sua dedicação deve ser com o seu bebê, a casa pode ser cuidada pela mãe e sogra, a comida pode ser feita pelo marido e amigas, dedique-se ao seu mais novo amor.

A rede de apoio é algo extremamente importante nesse momento, de acordo com a Dra. Isabel Panosso, o período pós-parto, conhecido como puerpério, é um momento extremamente marcante na vida da mulher e é muito importante ela contar com o apoio da família e do pai, período de muitas emoções, alterações hormonais e de humor. Uma rede de apoio auxilia a enfrentar tudo isso com mais tranquilidade. A amamentação é um aprendizado que envolve muitos sentimentos e emoções, a mãe aprende a amamentar e o bebê aprende a mamar, por isso a importância do apoio e do suporte emocional para essa mãe.

Como muitas mamães já sabem e outras tantas vão descobrir, amamentar não é somente prazer, principalmente nas primeiras semanas, quando o seio ainda não está adaptado com esse novo processo e diversos fatores podem dificultar o período e precisam da sua atenção. Isabel destaca que a as mamães devem ficar atentas ao seio muito cheio, causando ingurgitamento mamário, fissuras na mama devido a “pega” incorreta do bebê , situações essas que podem evoluir para mastite, sendo extremamente importante procurar o médico obstetra para avaliação, por isso fique atenta e, em caso de dúvidas, procure por alguém que possa lhe orientar. A última dica: mamães, não existe leite fraco, cada mãe produz o leite ideal para seu bebê. É no leite materno que encontramos os ingredientes indispensáveis à vida: saúde, carinho, afeto e amor, e será a experiência mais memorável que você terá, por isso não deixe a falta de conhecimento ou os palpites errados levarem você a pensar que não tem leite suficiente. Talvez só precise estimular mais e com algumas adaptações você com certeza irá conseguir uma amamentação exclusiva com sucesso. Confie em você como mãe acima de tudo!


A amamentação traz grandes benefícios tanto para a mamãe quanto para o bebê

Mãe

-Acelera a perda de peso;

-Diminui o sangramento pós-parto, fazendo com que o útero volte ao seu tamanho normal em menos tempo;

-Reduz incidência de câncer de mama e ovário;

-Não tem custo e está sempre prontinho, na temperatura ideal 😋;

-Protege contra infarto e outras doenças cardiovasculares;


Bebê

-Maior proteção contra doenças crônicas, como obesidade e diabetes;

-A digestão do leite materno é melhor, isso reduz as chances do bebê ter cólicas;

-Melhora no desempenho intelectual (crianças amamentadas possuem melhor QI);

-Maior vínculo e relação afetiva entre mãe e bebê;

-Melhora das cólicas e digestão;

-Reduz o risco de doenças alérgicas (dermatite atópica, rinite, asma...)


Contato

(55) 9 9941 1161  - contato@fredmagazine.com.br

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon

RS 591, N° 200, Jardim Primavera
Frederico Westphalen/RS