Benditos os que conseguem se deixar em paz

Por: Vanessa Harlos - Jornalista e cronista por inquietação


O título é, na verdade, uma frase escrita por Martha Medeiros em uma de suas brilhantes crônicas e, em tempo de final de ano, cai muito bem. Toda vez que um ciclo se fecha para que outro possa começar, a nossa mente também inicia um processo bastante chato de imposição de metas e cobranças, afinal, é preciso aproveitar ao máximo cada segundo, nada de perder tempo.

Só que nessa ânsia desenfreada de ser, fazer, realizar e alcançar, acabamos esquecendo de uma coisa muito importante: nos deixar em paz. Sim, paz, tranquilidade, calmaria e o que mais sinalizar um estado de espírito onde o estresse não tem vez.

Pensem comigo, 2020 foi um ano doido, maçante, trazendo surpresas até o último segundo e a verdade é que ninguém é de ferro, se não desacelerar um pouco, a tendência é adoecer não só o corpo, mas o emocional e a mente.

Por isso, na hora de mentalizar e vibrar desejos para 2021, que tal focar no autocuidado, na saúde, em dias mais felizes e menos agitados? Descanse um pouco! Tá tudo bem se você não traçar metas ousadas, se for repousar os pés na grama durante as férias, se preferir o sofá ao invés de exercícios desenfreados, se quiser olhar mais pro céu do que pra tela do celular.

Isso não significa que você deve estagnar, não é esse o ponto. Só que ninguém gosta de cobranças o tempo todo, nem o seu próprio eu, acredite. Que vida você quer levar quando o mar estiver mais calmo? Se deixar em paz é entender que descansar é tão importante quanto todo o resto.